NOTA EXPLICATIVA “ASSOCIAÇÃO DE FUZOS”

NOTA EXPLICATIVA “ASSOCIAÇÃO DE FUZOS”

 

Assim não!...

    Sempre tive pelo associativismo um carinho especial, dai, que logo me dispus, quando convidado por um camarada para fazer parte dos órgãos sociais da Associação de Fuzileiros, a dar o meu melhor contributo em prol de um órgão representativo de uma família a que pertenço, há já mais de quatro décadas.

 

    Ao aproximar-se o fim deste meu primeiro mandato, sentia-me galvanizado para continuar a colaborar, não fora a forma desleal como alguém resolveu conduzir o processo de apresentação de uma nova lista. Começaram por resolver faze-la, incluindo nela, alguns camaradas sem nada lhes dizerem. Achando-se por ventura, como direito a serem donos do seu crer e vontade. Como se isso não fosse o suficiente, mantiveram em segredo até que um dos referenciados na nota chamada explicativa, por mera coincidência, teve conhecimento por intermédio de um camarada de uma delegação, passado mais de um mês da respectiva lista ter sido entregue ao Presidente da mesa da Assembleia Geral. Entretanto houve reuniões de direcção, mas o assunto nunca foi abordado. Para completar o triste quadro comportamental, mandam uma nota explicativa aos sócios, que por não dar testemunho da verdade, coloca em causa a honorabilidade de uns quantos. 

 

    Assim foi acontecendo nos outros considerandos da escrita elaborada, onde até é colocado em causa, o almoço de uns quantos “mal comportados” será que já não se pode almoçar com a companhia que se quer? Para quem sentiu algo esquisito naquele palavreado, digo-vos que os chamados desistentes referenciados naquele escrito, nunca desistiram de nada, porque nunca se comprometeram com coisa nenhuma, apenas porque nunca lhes foi perguntado! Portanto, a palavra por desistência de última hora é uma pura mentira, e para a qual se não entende a razão ou objectivo! Lamento que não se queiram redimir do erro, insistindo agora, com a colocação no site da Associação, a respectiva converse-ta.

 

     O associativismo não se compadece com estas formas de tratar os assuntos, tão carenciados de democracia. Assim não!!! Já todos fomos mancebos, recrutas e militares responsáveis, não admito que se trate pessoas tão disponíveis, e com provas dadas, com tamanha desconsideração.

 

Um forte abraço para todos os Camaradas.

 

Afonso Brandão